WPJ & Associados

  • Home
  • Serviços
  • Produtos
  • Projetos
  • WPJ Responde
  • The Money Call
  • WPJ no YouTube
  • [SIGNIN]
    [SIGNUP]

    Especulação

    Job Adriaensz. Berckheyde 001.jpg
    Pátio da Bolsa de Amsterdam, cerca de 1670. Tela de Job Adriaenszoon Berckheyde. (Créditos)

    Especulação é a compra de ativos na expectativa de rápida valorização e revenda com lucro substancial.

    Origem provável

    Do latim speculor: observar com atenção.

    Pontos-chave

    Discussão

    Especulação é a compra de “posições” — quantidades definidas de ações, títulos de dívida pública ou privada, moedas ou commodities — na expectativa de rápida valorização e revenda com lucro substancial acima dos impostos e dos custos operacionais.

    O especulador é alguém que observa um mercado em busca de oportunidades de compra de ativos cujo preço pode subir no futuro próximo. Porém, os termos “especulação” e “especulador” tomaram uma conotação negativa, quase ofensiva. O especulador é erroneamente tido como um predador do mercado, alguém que busca a perda alheia para ganho próprio.

    Mas tal papel pertence na verdade a outra figura, o manipulador, que usa seus recursos para forçar altas ou baixas artificiais — lucrando, este sim, com a desgraça de milhares de pequenos aplicadores. Os especuladores, ao contrário, têm papel fundamental para o bom funcionamento dos mercados. Ao assumirem o “risco” das operações de curto prazo, criam a liquidez essencial à viabilização das negociações; ou seja, dá ao pequeno aplicador a certeza de poder, a qualquer momento, encontrar compradores para suas posições.

    Especular nos mercados de ações, títulos, moedas e commodities pode ser um excelente meio de formação patrimonial se encarado como uma profissão de tempo integral. Mas os resultados de especulações realizadas como uma atividade paralela, como um hobby de fim de semana, são, quase sempre, grandes perdas.

    Termos relacionados